7 de novembro de 1988 - Tema I – As Representações Simbólicas do Real

O escritor, crítico e professor Antonio Candido de Mello e Souza, durante a abertura “Panorama da Literatura Brasileira no Século XX”, apontou uma tendência de mudança no campo da literatura com o surgimento de uma nova corrente literária que substituiria o romantismo. Também falou sobre a possibilidade de as telenovelas brasileiras virem a ser um gênero consagrado no futuro e da hipótese de que a modernidade, gerada pelo advento da revolução industrial, nunca ter abandonado o romantismo. Candido discutiu o regionalismo na literatura nacional, a questão do plágio e da originalidade e o movimento brasileiro do concretismo nos anos 1960. Também participaram como expositores da mesa os filósofos Michel Debrun e Eduardo Subirats e o escritor e artista plástico Rodrigo Naves, além dos debatedores Ismail Xavier, crítico de cinema, Urias Arantes, filósofo e escritor, e Luiz Marques, historiador de arte. Audiovisual originalmente catalogado e preservado pelo Arquivo da Rádio e Televisão Unicamp.

Antônio Cândido durante a mesa sobre as representações simbólicas do real. Foto: Siarq/Unicamp.
Antônio Cândido durante a mesa sobre as representações simbólicas do real. Foto: Siarq/Unicamp.
Eduardo Subirats durante a mesa sobre as representações simbólicas do real. Foto: Siarq/Unicamp.
Michel Debrun durante a mesa sobre as representações simbólicas do real. Foto: Siarq/Unicamp.
Michel Debrun durante a mesa sobre as representações simbólicas do real. Foto: Siarq/Unicamp.
Rodrigo Naves e Carlos Vogt durante a mesa sobre as representações simbólicas do real. Foto: Siarq/Unicamp.
Rodrigo Naves durante a mesa sobre as representações simbólicas do real. Foto: Siarq/Unicamp.
Rodrigo Naves durante a mesa sobre as representações simbólicas do real. Foto: Siarq/Unicamp.